O Amor e o Precipício

"Não achava que estivessem para se conhecer, nem que pudesse fazer alguma coisa para tornar isso possível."(trecho do livro"Na praia" de Ian McEwan)

Conhecer um rapaz, se envolver, se apaixonar – tudo demanda tempo e muito mais do que isso exige-se que não haja precipitação.E esta palavra precipitação muito antes de ler o livro "Na Praia" de Ian McEwan, sempre a associei à precipício – e é exatamente assim que me soou os personagens do livro como se estivessem a beira do precipício.Muita gente pode ainda não ter admitido para si mesmo mas sentimentos, por não serem paupáveis, são difíceis de serem expressados em palavras e gestos e, por vezes não-digeridos.Como seres humanos, queremos explicação para tudo e esquecemos que o universo é lindo porque está cheio do inexplicável.Então vejo homens e mulheres numa multidão se perdendo, doando-se e cobrando em seguida ao outro – usando justificativas que nem mesmo convence a eles mesmos, levantando incompatibilidades que já existiam antes do "nós".E o livro "Na Praia" traz um casal às voltas com suas contradições cuja única testemunha é a praia…Ah, a praia que até hj para mim fora sinônimo de paz, com suas ondas, sua areia, neste romance ela é um pano de fundo nostálgico.

Lendo uma história tão profunda e suspirando, tomei a liberdade de escolher algumas canções para ela:

"Soneto de Fidelidade"-banda Secrets

"Na vida"- Magujam

"A minha voz não sai"- Primadonna

"Você nunca vai ganhar" – Os Dissonantes

"As angústias que teria de enfrentar ainda estavam distantes, embora por vezes ela se perguntasse para onde é que estava indo.Um mês antes, tinham declarado um ao outro que estavam apaixonados, e isso foi causa tanto de excitação como depois para ela, de metade de uma noite em claro, sob o efeito de uma apreensão indefinida, sentindo-se impulsiva por ter aberto mão de algo importante, que não lhe cabia ceder.Mas era interessante demais, e novo, e lisonjeiro, demasiado reconfortante para resistir, era uma libertação estar apaixonada e dizê-lo…"(trecho do livro"Na praia" de Ian McEwan)

Amanhã tem Festival Oi Novo Som no Cinematheque com:Partido Leve e Sobrado 112.

Patrícia Fields
Esse post foi publicado em Livros. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s