MOROU?

27/05- na Mofo & 28/05 no Corredor Cultural em Juiz de Fora

 Não gosto quando dizem que os livros impressos vão findar,gosto tanto deles.

Portanto é com surpresa que assisto novas situações que decididamente não entendo…como pode uma vida melhor ser oferecida ensinando-se errado?

Pois pasmem,esta é a proposta(ao que tudo indica aceita pelo MEC)da autora/professora Heloisa Ramos com a publicação/distribuição de seu livro(?)”Por uma vida melhor”.

O que nós aprendemos na escola,por todos esses anos como regras gramaticais e concordância,a cara autora chama de “preconceito linguistico”(?).Se falar corretamente,e pronunciar o plural quando for necessário,eu assumo:quero padecer desse mal.Quaisquer que sejam…

Bem que eu disse aqui mesmo neste espaço,há alguns posts atras,que tinha sofrido bullying na escola…foram meus amados mestres(saudades de quase todos vocês) que não aceitavam meus erros nas lições e provas e faziam duras correções!Alguns até tingiram com vermelho o meu boletim…felizmente não era vermelho do meu sangue,e sim da nota baixa mesmo!

Graças à esses preconceituosos professores linguisticos,que passaram pela minha formação escolar,me atrevo hoje a escrever e falar acreditando piamente que todos possam me compreender!Já é…

Me surpreendo que num momento em que apontam tanto que o ensino público precisa melhorar,uma publicação dessas consiga avançar.Desde quando corrigir,ensinar pode ser encarado como preconceito?E por quê a professora/autora Heloisa acha que populares só falam errado?

Nasci de família pobre,sou pobre,estudei em escola pública e até que curto o plural das palavras pra falar(pobre gosta mesmo é de fartura,singular lembra ter só um,plural dá sensação de muitos)e aceito correções linguisticas da Psicopedagoga Patricia Fields pra escrever,já que eu só fui até o ensino médio/técnico.Morou?

Eu que amo os livros impressos,se pudesse vetaria esse em questão.Um livro impresso nunca pode prestar um desserviço,ainda mais de tão grande risco/maleficio pra nossa Lingua Portuguesa(digo nossa porque também gostaria de me apropriar dela).Alias por quê cargas d’água o MEC se pronunciou tão veemente contra o suposto racismo de Monteiro Lobato,enviando cartilhas para professores e aprova esse preconceito com as corretas: grafia e concordância.Hein?

Deixo aqui algo que li e gostei:

“De vez em quando o cronista deixa cair uma bolinha,tropeça numa crase.Não se abate.Ele deseja que todas as normas consideradas adequadas e peremptórias no uso da língua tenham uma boa afta e se explodam – mas ele não repetiria tal na frente das crianças em idade escolar.”(Joaquim Ferreira Santos)

De uns tempos pra cá: o que é certo,apontam que é anormal.E o anormal,enfiam-nos goela abaixo,afirmando que é o certo.

Eis que surge o mundo dos intocáveis…nada lhes é negado: nem mesmo o caos.

Valei-nos,meu Deus!

Eu quero descer dessa canoa,antes que ela afunde,porque virar ela já virou.

Sandra Sclata

Esse post foi publicado em Notícias e política. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s