A CHANCE

Fui assistir a peça Thérèse Raquin,em cartaz até 30 de outubro na Casa de Cultura Laura Alvim.Num texto baseado no livro(escrito em 1867) de Émile Zola e atuação excelente de:Suzana Faini,Rogério Froés,com elenco de mesmo modo atuante,todos dirigidos por João Fonseca.A trama se desenvolve de forma clara.

Thérèse(interpretada por Glaucia Rodrigues) desde cedo,é “levada” a ceder aos desejos de seu primo,por morar de favor em sua residência.Camille(interpretado por Rodolfo Mesquita) se tornará mais tarde seu marido,ou seja,ela se casa sem amá-lo.Passa então à enxergá-lo como um obstáculo para sua felicidade.Mas não teria ela mesmo se acomodado em ceder aos caprichos de seu primo/marido e de sua tia/sogra Madame Raquin(interpretada por Suzana Faini)?

Com o passar do tempo,seu marido reencontra um velho amigo e o traz para o convivio familiar.O amigo/pintor Laurent(interpretado por Lucci Ferreira),resolve tornar Camille seu mais novo modelo,e assim ambos passam as tardes : um posando de marido feliz,outro pintando os 7…a mãe/sogra segue os dias atarefada com os afazeres domésticos e com a administração da loja.E Thérèse?

Ela fica por ali,à toa…suspirando e observando Laurent,ansiando por um futuro que não soube planejar,nem construir.Entre um suspiro e várias pinceladas de tintas fortes da trama, nós é apresentado o olhar entre Thérèse e Laurent,e a chance de se aventurarem nos braços um do outro.Tornaram-se amantes.

Com a paixão à flor da pele,não querem nada nem ninguém atrapalhando suas vidas e seus planos de futuro.Planejam então matar Camille.É nesse momento pontual da trama,que eu esperava um maior destaque na investigação do assassinato de Camile,afinal de contas,o detetive Michaud(interpretado pelo ator Rogério Froes)deveria desvendar tudo.Né,não?

Gostaria muito que ele tivesse desvendado todo o crime premeditado.

Thérèse e Laurent,acabam se perdendo no meio de tanta farsa e remorso.É muito bem feita em cena,a aparição do marido assassinado nos momentos mais intimos do casal,só assim a mãe de Camille fica sabendo a verdade sobre a morte “acidental” do filho naquele passeio de domingo a três…

Como na peça,a vida também tem imitado a arte,toda Thérèse leva: marido,amante e quem mais puder para um caminho sem volta.

Sandra Sclata

–>dica de hoje:

http://images.livrariasaraiva.com.br/imagem/imagem.dll?pro_id=327782&L=500&A=-1&PIM_Id=&ID=C89548D17DB090D1206380794

–>adquira aqui:

http://links.lomadee.com/ls/UWhJVDtpc3NwUDlFMDsyMzA2NDQwNzswOzE3NjszMzQ3Mjg5NzswO0JS.html

 

 

Esse post foi publicado em Notícias e política. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s