PÚBLICO GERAL

Muito se tem discutido sobre a Saúde em nosso país.Ela tem sido de péssima qualidade,pelo menos para aqueles que não podem arcar com o ônus de um plano de saúde.O planejamento preventivo de todo cidadão deveria estar garantido em todos os hospitais públicos existentes.Mas todo mundo sabe,e muitos já comprovaram na pele(independe a raça,pois nesse caso quem manda é a classe social)o descaso público geral.

Também muito se tem apontado os erros fatais que profissionais da saúde(auxiliares e técnicos de enfermagem)cometeram e continuam cometendo ultimamente…são sempre julgados com rigidez e desprezo.Todos apontam que esses profissionais não podem errar nunca…Quem assim o diz tem toda razão.

Desde o primeiro dia de aula(quando a formação é numa instituição credenciada para tal)somos treinados pra não errar…afinal de contas,vamos lidar com vidas,ainda que as primeiras aulas teóricas sejam feitas com bonecos,um pouco antes do estágio vamos passar a treinar uns com os outros(sala laboratório)alguns procedimentos.

No estágio lidaremos com a população doente que tem pressa em se curar,e não quer saber se estamos inseguros ou não…não quer saber que é nosso comecinho de estágio e que não temos nem a ligeireza esperada e nem todas as respostas para os sintomas relatados.Com as dúvidas e a pressão,procuramos aflitamente por nosso(a)supervisor de campo ou a equipe local de plantão.Mas como encontrar a equipe local,se a primeira regra a ser posta em prática é:quando se tem estagiário(a)no pedaço,profissional já formado(e com muitos anos de casa) para de trabalhar?Como encontrar o supervisor(a)que foi fumar e tomar cafezinho lá fora no quiosque da esquina?

Nada disso justifica o erro,nem do estagiário,nem do profissional já formado para com os pacientes….mas que ajuda a montar um quebra cabeça,bem pode ser né não?

A partir dessa cadeia preguiçosa de fatos,pode-se visualizar o que aconteceu com a idosa Rosa Celestrino de Assis,internada com pneumonia e depois dada como morta com atestado de óbito assinado e tudo,pelo médico de plantão no Hospital Estadual Adão Pereira Nunes.

Que país é este?Que profissionais são esses?

Alguém acha mesmo que essa desorganização começou agorinha?Isso vem de há muito tempo…o caso de dona Rosa saltou aos olhos de todos porque sua filha botou a boca no megafone!Mas…e se dona Rosa fosse sozinha no mundo?Quem perceberia que ela ainda estava viva?Certamente um outro profissional que nada diria…seria um caso abafado.Quem tem acesso a essas areas,se não os profissionais das mesmas?

Até agora sempre se cobrou condenação pra quem aplica glicerina em vez de soro,espero que também cobrem da mesma forma quem assina/constata a morte de quem ainda pulsa/vive.Está na hora de pararem de achar que só auxiliares/técnicos de enfermagem erram…Médicos também erram e devem todos pagar por isso.

Graças a Deus dona Rosa ainda está viva,e segue internada e em vigilia de perto por sua familia que não quer tomar outro susto.Ninguém merece mesmo tamanho sofrimento.

Profissionais que se sentem: pressionados,inseguros,cansados e até mesmo frustrados perante o salário e o pouco reconhecimento da profissão,deveriam abandonar a profissão pra não colocarem em risco a vida dos pacientes.Melhor abandonar o emprego do que matar um inocente.

Outras profissões cometem erros de montão,e não pagam por eles,porque os tais não ocasionaram/ocasionarão mortes.Procuremos então tais profissões,seremos mais felizes e deixaremos o mundo um lugar mais seguro de fato.Do jeito que está não dá pra continuar…os que pretendem ficar,cuidem pra não errar.

Sandra Sclata

—>dica de hoje

Esse post foi publicado em Notícias e política. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s