GALHOS SECOS

Também estive na Casa de Cultura Laura Alvim,para visitar o “Projeto Cisco”,exposição de Ricardo Becker com curadoria de Fernando Cocchiarale.

Percorrendo a exposição aponta-se que com o cisco no olhar,não percebermos muitas coisas belas e não palpáveis à nossa volta;como o tempo e o vento,este último destaque no projeto.De uma forma concreta o vento simbolizado nas peças elaboradas pelo artista.

Mire-se no espelho.O que você vê?

No “Ninho”,a presença do vento é nitida,pois a peça foi confeccionada com arames de aço prendendo seus galhos secos,supostamente apos a passagem do vento por ele.Por ali também deparamos com “Árvore Cisco”,uma especie de bonsai suspensa na parede por um bastão de vidro.

Simples.Marcante.

O vento,quem esquece ou não nota sua existência?Independente de seu tamanho ou intensidade,ele é sentido.Descabela,refresca,esfria…Caminhando um pouco mais pela galeria,conhecemos o outro lado do vento.Ventania que incomoda alguns e às vezes até destrói lugares.Há de se conhecer então o “Vento Abrigo”,uma armação de madeira confeccionada com ripas de madeira e acionada continuamente por ventiladores.

Um caminho por dentro da estrutura dá-nos a sensação exata de como caminhar ao sabor do vento sem se preocupar com nada.Sem ciscos de tristeza ou desesperança.

Que os bons ventos soprem sempre por todos os cantos mais recônditos da alma.

Sandra Sclata

Esse post foi publicado em Notícias e política. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s