ORIGINAL

Agora que todos nós já sabemos tudo sobre Carminha & cia. de João E.Carneiro, a vida volta ao normal…exceto pelo horário de verão que começa hoje(argh!)e terminará em fevereiro do ano que vem.Eu de minha parte, e atenta a tudo, acabo de ler o livro impresso “O Dia Mastroianni” de João P.Cuenca.

Ao que tudo indica,no sentido original “Dia Mastroianni”, seria um dia dedicado a farras sexuais regadas com muito álcool, e também ao comparecimento em festas ou eventos, sem ter sido convidado.Que graça tem isso?Lembrou de alguém que faz isso?

Foi só uma pergunta…

Não faço a menor ideia de que graça isso possa ter,talvez faça sentido para os manos,buscando satisfação(?).Pois é buscando por ela que Pedro Cassavas, propõe a Tomas Anselmo supostamente seu grande amigo, viverem ambos um tradicional Dia Mastroianni.

Convite aceito, e ambos unidos à caminho da “aventura farra”, partem ao encontro da “Doce Maria” que irá trazer outras coleguinhas fadinhas para incrementar a farra diurna/noturna.Daí pra frente,o que se lê no farfalhar das folhas,são detalhes de uma existência confusa,sem rumo,talvez à procura de si mesmo.

Mas como Pedro Cassavas conseguiu se perder de si mesmo?Em nome de quê?

Pedro Cassavas não sabe para onde vai, nem para onde quer ir exatamente…Ele só pressente que pode existir um caminho que talvez lhe seja interessante cruzar.Mas também não se importa muito se não for…se tudo não acontecer como ele esperava…mas o que ele planejava mesmo?Ele não se lembra.

Pedro Cassavas já não se lembra exatamente como esse Dia Mastroianni começou.E quem foi mesmo quem lhe falou dessa tradição machista?Terá lido nos livros do escritor Monsieur Mxyzptlk(sopa de letrinhas esse nome)?

Monsieur diz a Pedro Cassavas:

“-Ah,a juventude cega!Não existe algo como “os meus leitores”.O que existe é uma multidão em branco que resolve comprar livros com o meu nome na lombada.Desses,um décimo lê.A outra parte diz que leu, mas não consegue chegar até a metade.Hoje em dia, compra-se o livro pela capa, para botar na estante e fazer bonito.É só mais um fetiche.”(trecho do “O Dia Mastroianni” de J.P.Cuenca)

Na verdade Pedro Cassavas, não sabe, não lembra…nem sequer sabe se a tradição do Dia Mastroianni de fato existe.Ele nem sequer sabe se ele próprio de verdade existe, ou se é apenas um personagem de ficção inspirado numa realidade lado a lado.Acredita que é uma ilusão.

Sandra Sclata

dica de hoje:Vale a pena ver de novo o último capitulo da novela “Avenida Brasil” de João E.Carneiro.

Esse post foi publicado em Livros, Notícias e política e marcado . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s