SALA DA JUSTIÇA

Estive assistindo a peça “Doze homens e uma sentença” no CCBB com Edmilson Barros, Xando Graça, Genezio de Barros, Camilo Bevilacqua, Alexandre Mello, Babu Santana, Marcello Escorel, Norival Rizzo, Henrique César, Henri Pagnoncelli, Mario José Paz, Gustavo Rodrigues, Francisco Paz e Marcello Melo.

E posso lhes assegurar que é uma história instigante, parece até Kafka.Uma história onde os protagonistas são doze jurados que tem a dificil missão de condenar ou inocentar um réu que segundo dizem matou o proprio pai com um canivete.História atualíssima!

Um dos jurados se questiona se as provas e os testemunhos do caso são verdadeiros, nesse ponto da história devo dizer que penso como o autor: está muito dificil dizer hoje quem é inocente, quem é culpado.Quando é que um criminoso nasce?Será que todo trabalhador pode ser rotulado como homem de bem ou alguns desses pais de família trabalhadores tem criado situações criminosas em torno de si mesmos?

Perguntas sem respostas.

O canivete usado no crime pode ser comprado em qualquer lugar.A testemunha ouviu o filho dizer vou te matar com o barulho ensurdecedor de um trem passando…tantos motivos assim para duvidar faz com que um por um dos jurados relembre sua propria história e aos poucos mude seu voto de culpado para inocente.

Infelizmente andamos na rua e não sabemos quem é quem; será que sempre teremos sabedoria para discernir?Enquanto tivermos, haverá justiça.

😀 Patrícia Fields

Esse post foi publicado em Entretenimento, Notícias e política. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s