QUEM É O INIMIGO

Acabo de ler o livro “Institucionalização de crianças no Brasil:percurso histórico e desafios do presente” de Irene Rizzini e Irma Rizzini. No estudo das Rizzini, fica bem claro que a fragilidade das estruturas familiares e a falência dos laços afetivos decretaram a existência de muitos, milhares de seres humanos deficientes morais e emocionais. Os menores que a lei tanto protege crescem sendo rejeitados primeiro por suas próprias familias. E depois eles rumam para o convívio social sem saber se portar adequadamente nos ambientes, julgando que o não saber constitui num modo diferente de se destacar e demarcar território; quando na verdade continuam sendo rejeitados. Falo isso, tentando dizer que toda pessoa só oferece ao outro o que tem, logo seres humanos sem amor não darão amor aos seus filhos. Muita gente despreparada constituindo familia, mas não se responsabilizando por ela. Como podemos reverter esse quadro então? Queremos mudar e conter essa avalanche? Talvez nem o governo, nem os assistentes sociais, nem os professores tenham culpa. Talvez já venha escrito.
Patricia Fields

Esse post foi publicado em Livros, Notícias e política. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s