RAIO X

O fracasso de nosso momento presente é o que precipita a humanidade ao futuro fictício de “Admirável Mundo Novo” de Aldous Huxley, que é o livro que acabo de ler.Você com certeza, já deve ter ouvido falar desse livro, é um clássico.

Um clássico que a meu ver revela as entranhas de uma sociedade falida.Um futuro sem democracia, sem fé em Deus, sem amor, sem amizade, sem sentimento.

No mundo que Ford criou, todo mundo nasce predestinado e todo mundo aprende por hipnopedia.Estão todos condicionados ao sucesso ou insucesso desde o momento em que nascem.Aliás, no lado civilizado tudo é manipulado, todos os bebês são gerados em laboratório, em fertilização in vitro.Logo esta fertilização in vitro, que é motivo de discussão nos dias de hoje: se devemos ou não aceitar pesquisas com células tronco, se podemos ou não escolher o sexo do bebê antes de nascer – no livro ela se tornou via de regra.A reprodução assistida é o normal da sociedade Ford.

Divididos em castas desde Alfas, Gamas, Deltas, Ípsilons.Alguns termos utilizados no livro mostram o quanto Aldous Huxley entendia de ciência, química, como:

-Pavlov: trata-se de Ivan Petrovich Pavlov, pesquisador russo que criou a teoria de condicionamento na psicologia do comportamento, reflexo condicionado que tem sido base de pesquisas para combater depressão, obesidade, stress.

-Pfitzner: trata-se de Han Erich Pfitzner, compositor alemão anti-modernista(agora o que ele tocava eu não consegui saber)

-Bokanovski: Método, descrito no livro em detalhes, de conservação de embriões em incubadoras

-Hg(CNO)2 – símbolo químico do mercúrio

-CH3C6H2(NO2)3 – componente químico Trinitrotoluene, que é uma combinação de carbono, hidrogênio, nitrogênio, oxigênio.

Apesar deste mundo acusar o antigo de ser cheio de sofrimento, e que ser feliz é fazer tudo o que se quer e, quando não tiver jeito, fugir da realidade consumindo a droga do mundo novo:a soma.Os personagens são todos teleguiados e, olha como tem fadinha(vide Zunzunzum) nesse livro, hein rsrs…

“O que é que há de mais importante para dizer?(…)As palavras podem ser como os raios X, se as usarmos adequadamente:penetram tudo”

(pág.73 do livro)

Mas ainda tem o lado dos Selvagens.Estes vivem acreditando em Deus, realizando rituais estranhos.Nesse grupo, surge o Selvagem John, que sofre por não se encaixar na fôrma nem de um lado nem do outro.John tem valores, sentimentos, mas não é aceito no lado selvagem por ser filho de Linda, uma alfa.Também não é aceito no lado civilizado pelos seus modos, pela sua crença e por ter sido gerado por uma mãe.

Outor personagem Helmholtz nasceu alfa, mas almeja muito mais da vida.Ele quer escrever e, adivinhe só: a escrita liberta…E Helmholtz começa a pensar, questionar e a descrever sentimentos, que uma vez lidos, pode descondicionar os indivíduos do mundo novo.

John, Bernard e Helmholtz estão em busca de algo verdadeiro, de sentimentos, de felicidade – o que é extremamente incompreensível no Admirável Mundo Novo.

Admirável por causa de seus avanços tecnológicos, de sua ciência, mas na verdade deveria se chamar Medíocre Mundo Novo.

Patrícia Fields

Esse post foi publicado em Livros. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s